14
May
2013
4

A decisão de imigrar – o que nos trouxe ao Canada

Quando meu marido e eu decidimos que não queríamos mais morar em São Paulo, pensamos em N alternativas de como resolveríamos essa situação, afinal tínhamos empregos, casa e um vida toda para resolver. Eu sempre tive vontade de morar em outro país, já o meu marido nem tanto,  acho que ele nunca se viu tendo que morar em outro país que não fosse o dele. Sem contar que não queria passar por situações de preconceito ou outro tipo de situação que alguns imigrantes sempre passam! Eu realmente concordo com ele, afinal não temos mais 20 anos e ambos tinham suas carreiras estabelecidas no Brasil,  ele ainda mais bem sucedido do que eu pois estava feliz e satisfeito com o seu trabalho, já no meu caso eu não via mais alegria em continuar fazendo o que eu fazia. Enfim começamos a estudar as alternativas que entre elas estava a mais remota possibilidade de ir morar no Canadá. Esgotada e discutidas todas opções consideramos o Canadá e então começamos a nos aprofundar nessa possibilidade, sabíamos das várias opções de imigrar para o Canadá e começamos a ver qual mais se encaixaria em nosso perfil.

Feito isso, e ainda com um monte de dúvidas na cabeça resolvemos vir passar as férias em Vancouver para conhecer melhor a cidade e saber realmente sobre a questão do preconceito, cotidiano e claro também tínhamos que gostar, afinal de contas era a cidade que a gente havia escolhido para viver, ou que seria uma possível candidata. Passamos 1 mês em Vancouver em Março de 2012, na ocasião optamos por um intercâmbio, ficamos em casa de família canadense, tudo para sentir na pele o que seria ser um imigrante aqui. Eu sinceramente não sei se o tempo foi suficiente para saber tudo isso, mas o fato é que nos apaixonamos enlouquecidamente por Vancouver e após 1 mês tudo que a gente tinha na cabeça era:  como poderemos viver aqui???



A decisão de imigrar

Quando estava pensando em todos os porquês de imigrar ou não, eu acabei escrevendo um listinha contendo todas as razões pelas quais nós deveríamos nos mudar para o Canadá:

1.  Morávamos a apenas 7 km do trabalho, e levávamos 3 horas todos os dias para ir ao trabalho e voltar pra casa. Algumas pessoas (que não moravam em São Paulo) me perguntavam: mas porque você não vai a pé? E eu tinha vontade de responder…tenta a sorte! Já quem morou lá entendia muito bem!

2. Ter visto inúmeros assaltos e ou tentativas de assalto durante o seu percurso de trabalho, eu rezava para que você não seja a próximo, eu rezava porque cheguei ilesa em casa, eu rezava para sair de casa…e quando estava dirigindo eu eu não abria a janela do meu carro pra nada. É muito triste sair com medo nas ruas todos os dias!!!

3. Comecei a me sentir cansada de ser a “idiota” por tentar fazer as coisas certas. (precisa explicar mais?).

4. Trabalhava das 9 da manhã até as 9 da noite…porque se você se levantasse pra ir embora as 6 da tarde (que é o seu horário normal de trabalho),  todos te olhavam como se você fosse um extraterrestre,  e ainda recebia comentários do tipo: está desmotivada!?!

5. Trabalhar que nem uma louca e não ser reconhecida e pior: ver pessoas com pouca ética sendo promovidos e reconhecidos simplesmente porque tem números melhores do que o seu, embora todos soubessem que esses resultados não eram os mais honestos possíveis.

6. O jeitinho brasileiro não é bom.

7. Em São Paulo eu não tinha qualidade de vida, e se você pensar em sair depois das 9 da noite do trabalho e ainda for caminhar em qualquer parque você vai ser assaltado, ou irá enfrentar um congestionamento e multidão de gente em um dos poucos parques descentes da cidade.

8. Morava em um condomínio que mais parecia um presídio, com muros altíssimos, cerca elétrica, segurança nas guaritas. Sabe aquele conceito de condomínio clube?! Com opções de lazer para você não precisar sair…então, agora me diz quem deveria estar preso?

Enfim, parei a minha lista por aqui porque iria ficar um tempão enumerando todas as razões da minha decisão. Felizmente, e eu nem cheguei a falar de política falei de política, quis focar somente nos problemas mais próximo de mim, que no fundo podem sim ser remetidos a policita…afinal: falta de segurança, congestionamentos, falta de opções de lazer..etc…etc. Não posso dizer que fiquei 100% feliz, pois, o Brasil é a minha terra, mais posso dizer que até agora por todos os motivos que deixamos nosso país que estou 100% satisfeita com a minha decisão de me mudar para o Canadá.

Landing day 2

A Decisão de Imigrar – Foto: Outside Brazil

Estou estudando aqui e meu marido trabalhando na mesma empresa que trabalhava no Brasil, conseguimos um visto de estudos pra mim e um de trabalho para ele o que facilitou a sua transferência para a sede de Vancouver. No final desse ano vamos dar entrada em nosso processo de imigração, escolhemos a categoria Canadian Experience Class (http://www.cic.gc.ca/english/immigrate/cec/), que consiste em ter: 1 ano de trabalho legal em uma categoria de 0, A ou B da lista NOC (http://www5.hrsdc.gc.ca/noc/english/noc/2011/html/Matrix.html) e comprovação de inglês. Essa categoria se enquadra perfeitamente em nossa realidade e é a menos burocrática de todas na minha opinião. O bom dessa categoria para nós é que podemos dar entrada por aqui e ficar por aqui até sair o resultado do consulado. O visto de trabalho do meu marido nós  conseguimos pelo fato de eu estar fazendo faculdade aqui, sendo assim, tudo se encaixou direitinho. Isso porque fizemos um mega planejamento antes de vir pra cá e estudamos várias possibilidades. A gente tinha a possibilidade de aplicar pelo Brasil pela categoria Skilled Worker que é o processo mais convencional, porém é demorado e continuaríamos esperando do Brasil, o que não era mais viável pra nós. Eu sou uma pessoa extremamente ansiosa, e ficar com a minha vida meio que parada por 2 anos esperando a decisão do consulado canadense, não estava nem de longe nos meus planos.

Durante 7 meses (Abril/2012 a Nov 2012) período que durou entre ser aprovada na Universidade, visto, venda de apartamento e embarque, a ansiedade foi muito grande e o medo e a insegurança também. Mas hoje tenho a certeza de que tudo deu certo porque era pra ser mesmo, nosso visto foi aprovado bem mais rápido do que o normal, vendemos o nosso apartamento em pouco menos de 2 meses e sem burocracia, a resposta da universidade foi me dada antes na data estipulada, ou seja, tudo ocorreu rápido e certeiro. Acho que foi o universo conspirando para que nosso desejo desse certo! Quem não gostou muito foi nossa família, eles ficaram sabendo de tudo somente 2 meses antes do nosso embarque, preferimos manter tudo em segredo para não gerar expectativas e sofrimento desnecessário caso não desse certo, assim ninguém além de nós iria sofrer por antecedência. E confesso que já ser difícil lidar com a minha ansiedade imagina com a de todos.

Não foi fácil tomar essa decisão! Mas acho que no resumo de tudo estou muito feliz pelo resultado, hoje moro em uma cidade linda, limpa, segura, posso andar tranquilamente pela rua sem medo de ser assaltada, posso usar um Ipad no metro sem me preocupar. Existem sem brincadeira 5 parques (praças) ao entorno da minha casa para escolher,  alguns com quadras de tênis outro com quadra de basquete. Não preciso ter carro pois o transporte publico é MUITO bom e principalmente pontual.  Apesar de tudo isso, quero deixar claro que eu acho que imigrar não é pra qualquer um! É muito difícil estar longe de todos que amamos, o coração fica realmente muito dividido, e ainda tem que ter a mente aberta para se adaptar aos novos costumes, comidas e cultura. Não adianta ter o jeitinho brasileiro aqui que você vai se dar mal, tem a barreira da língua que faz das conversas com os canadenses um tanto chatas: não achar que você vai ter aquelas longas e divertidas conversas igual tem com seus amigos ai no Brasil, não vai rolar! Porque por mais que se fale inglês até você se acostumar com o inglês falado nas ruas cheios de gírias e outras coisas demora um pouco ou muito tempo. Enfim, antes de tomar a decisão de imigrar e se mudar de pais a gente tem que antes mudar a nós mesmo, para podermos nos adaptar ao novo país e é necessário ter uma mente aberta para poder aceitar todas as diferenças culturais desse novo lugar.

Siga o Outside Brazil clique nos links abaixo:

https://www.facebook.com/outsidebrazil
https://twitter.com/OutsideBrazilBl
https://www.instagram.com/cacaiani/

 

TransferWise a maneira mais simples e barata de transferência internacional!

You may also like

O Canada quer você!
10 melhores países do mundo para ser um imigrante
Vancouver é a cidade mais cara do Canada, segundo recente pesquisa
Global Talent Stream – CIC lança a lista de profissões e mais detalhes sobre o novo programa
1 ano em Toronto – aprendendo a amar esta cidade
Overview – Relatório final do Express Entry referente ao ano de 2016
7 melhores outlets próximos de Toronto
ICEFEST – Festival de esculturas no gelo em Toronto
7 eventos gratuitos para curtir em Toronto em Fevereiro
Canadá é top 10 dos países menos corruptos do mundo

12 Responses

  1. Fui lendo a lista e dizendo isso, Isso, ISSo, ISSO!!!! A cada dia que passa, minha decisão e as modificações que ela tem implicado no meu dia a dia, se torna mais acertada, mesmo esperando dificuldades no processo, a certeza de uma melhor qualidade de vida (e adequação mental e espiritual) será a base da minha persistência. Como sempre, Muito Obrigada, Carina! ^^

  2. Pingback : A decisão de imigrar #2 | Outside Brazil

  3. Pingback : Como vim parar aqui | Outside Brazil

  4. Tais

    Me lembro da primeira vez que conversamos, compartilhamos nosso sonho…. e me lembro, também, de quando você me contou essa novidade maravilhosa!!!! Estou indo te encontrar, pode preparar coisas boas pra gente curtir aí!!!!!!! Saudades e parabééns pelo blog!

  5. Oi Carina, que legal a história de vocês! Vir com trabalho faz toda a diferença mesmo! 🙂 Eu vim na cara e na coragem, sem lenço nem documento! hahahahah Mas também deu tudo certo pra gente, não foi fácil, mas tudo se encaixou no tempo certo. Boa sorte pra vocês aqui em Vancouver!

    Você tá estudando onde e fazendo que curso?

    1. Oi Ana, obrigada pelo seu comentário, estou começando o blog agora e não tenho ainda muita experiência kkkk, então eu estou fazendo mestrado ma Fairleigh Dickinson (FDU), em ADM Global – com enfase em Gestão de Tecnologia. Eu li o seu blog e vi a sua experiência, muita coragem mesmo mais acho que vale muita a pena, estou adorando estar aqui e espero ficar por muitos anos assim como você. Abs.

Seja bem vindo e muito obrigada por seguir o OutsideBrazil!

%d bloggers like this: