9
Jun
2015
8

Imigrar – muito além de mudar de país

Esses dias me peguei pensando no tempo em que me mudar para o Canadá ainda representavam sonhos rascunhados em um caderno qualquer. Aonde fazia as minhas contas, anotava as possíveis despesas, o quanto de dinheiro seria necessário para essa mudança de vida, ou seja, todo esse tipo de planejamento que a gente se pega fazendo nessa fase do processo. Volta e meia meu pensamentos se perdiam nos deslumbres e variações que a minha mente criava,  me transportando para o mundo encantado do Canadá aonde só bastava ter o carimbo do visto no passaporte e pronto:  ser feliz para sempre! (Do tipo o Fantástico mundo de Bob – eitcha revelei a minha idade agora). A questão é que nada…nada do que eu planejei me preparou para a realidade que é essa mudança! E imigrar vai muito além do que mudar de país.

 A mudança principal não foi pegar um avião e deixar toda a minha vida para trás literalmente, a mudança maior tem sido interior. Deixar tudo para trás porém no sentido não literal.  Imagine-se que você é um ser humano que terá que se reinventar, você terá uma página em branco, uma oportunidade de começar a reescrever a sua história. Nesse novo capítulo, ninguém te conhece, não importa se você era o Rei da Dinamarca ou o plebeu, mudar de país te coloca no mesmo patamar de todos os imigrantes. Você é o ESTRANHO que chega, sem nenhuma referência, sem nenhum amigo, sem saber falar o idioma corretamente. Nessa mudança aquele antigo você, que se encheu de rótulos no Brasil (o gerente da empresa tal que tinha o nome da empresa como sobrenome…ou médico…ou engenheiro..enfim todos nós temos nossos rótulos) terá que se despir desses rótulos e começar e escrever na sua nova página em branco!

IMG_5295test

Imigrar não é somente mudar de país, essa mudança tem que ser acompanhada de uma transformação interior. Você estará se inserindo em uma cultura que é diferente de praticamente tudo da sua cultura original, e isso vai de coisas simples até as coisas mais complexas. Essas diferenças estarão em tudo, na comida, na forma como as pessoas se relacionam, na busca do emprego e no dia-a-dia. Não adianta você querer comer arroz e feijão todos os dias sendo que a comida do menu é outra.  Não adianta querer impor o seu jeito brasileiro na rotina do canadense. Eles são mais reservados, nós não. Eles são pontuais, nós não. Eles são mais introvertidos, nós não. Procurar emprego então….não adianta se você era o vice presidente de uma grande empresa…se você não rezar a cartilha deles, você irá ficar a vida inteira procurando o emprego dos sonhos. Essa cartilha começa com coisas simples como mudar o seu curriculo para os padrões canadenses, fazer trabalhos voluntários, ter uma “experiência canadense”, se preparar para as entrevistas não se esquecendo de que eles são diretos e nós falamos demais…coisas simples, mas que resistimos, alguns desdenham uma oportunidade somente por achar que a sua experiência profissional vai muito além de aceitar um entry-level job.

Essa mudança é a sua chance de se reinventar, pense em todos os motivos que te fizeram sair do Brasil. Quem você gostaria de ser nessa nova fase? O workaholic que trabalhava 200 horas por dia e quando se dá conta seus filhos já estão na faculdade, ou aquela pessoa que decidiu ter mais tempo para si, para a familia e para os amigos. Ser o o espertão que fechava todo mundo no trânsito, porque desligou o despertador e perdeu a hora, e acha que o universo tem que sair da sua frente só para o bonito não chegar atrasado na reunião e se queimar com o chefe, ou aquele cara que reconhece que a culpa é dele e que os outros não podem ser responsabilizados pelo seu erro. Aquele que reclama da violência no Brazil e ao mesmo tempo se vangloria em pagar uma miséria por um serviço qualquer, sem perceber a relação entre abismo social e violência.

Canada Flag

Mudar de país não é uma transferência! Nada te garante o emprego bom que você tinha, a casa boa que você tinha, o carrão, a segurança financeira, nada disso é garantido aqui. “Mudar”, neste caso siginifica mudar sem garantias, sem saber o que te espera. Não adianta se espelhar em ninguém, não é porque um teve sucesso que você também terá, e vice versa! A mudança principal é dentro de cada um! Chega a hora em que é preciso ter um olhar crítico sobre você mesmo, e ter à coragem de fazer essa mudança, se livrar das velhas roupas, dos velhos rótulos, das máscaras e aceitar que esse processo é muito mais do que mudar de endereço. É ter coragem de aceitar a nova vida com humildade, desapego e entender que apesar das frustrações é preciso seguir em frente, e crescer! Para alguns esse processo de mudança apesar de doloroso no final é bom,  e para outros se torna um processo de volta ao conhecido, de volta ao Brasil.

 

Siga o Outside Brazil clique nos links abaixo:

https://www.facebook.com/outsidebrazil
https://twitter.com/OutsideBrazilBl
https://www.instagram.com/cacaiani/

Está buscando as melhores opções de Hotel, temos uma ótima parceria com o Booking, não deixe de confeir:

You may also like

Global Talent Stream – CIC lança a lista de profissões e mais detalhes sobre o novo programa
1 ano em Toronto – aprendendo a amar esta cidade
Overview – Relatório final do Express Entry referente ao ano de 2016
7 melhores outlets próximos de Toronto
ICEFEST – Festival de esculturas no gelo em Toronto
7 eventos gratuitos para curtir em Toronto em Fevereiro
Canadá é top 10 dos países menos corruptos do mundo
Como trabalhar legalmente no Canada
10 motivos para visitar Niagara Falls
Tire suas dúvidas sobre os tipos mais comuns de vistos Canadense

36 Responses

  1. Luiza

    Oi, adorei o seu artigo. Nunca escrevi nos comentários e oj resolvi escrever hihihi. Nós estamos aqui no Canadá adoramos e prentendemos imigrar, mas tem uma frase de um amigo q fizemos nessas andanças da vida q jamais me saíram da cabeça… ele dizia a voltaria para o Brasil (sim ele tinha condições de ficar) e voltaria porque o Brasil precisa de pessoas jovens, corajosas e pensantes. Eu admiro ele infinitamente! Jamais esquecerei dessa conversa. Por isto, estamos estudando e jamais descartaremos a ideia de voltar! Bj

    1. Olá Luiza, muito obrigada pelo seu comentário, me sinto lisonjeada em saber que o meu post te incentivou a deixar o seu comentário aqui no blog!
      Eu também nunca descartei e não descarto a essa hipótese, até porque além de ser aonde eu nasci toda a minha família está no Brasil, e por esse último motivo acredito que para todo imigrante isso será um ponto que o fará voltar caso os país venham a precisar. Eu também concordo que o Brasil precisa sim de pessoas corajosas e motivadas a mudar a realidade, não descarto a ideia de voltar, não é algo que eu gostaria agora, porém nada nessa vida é definitivo, não é mesmo!?
      Abs
      Carina

  2. Bruna Ferraz Batilan

    Oi Carina… queria saber umas coisinhas…
    Como os seus planos e sonhos de morar no Canadá saíram do papel ?
    Qual foi o primeiro passo a ser dado para todo este processo ?
    Quantos anos você tinha quando decidiu ir e com quantos anos você foi ?
    A decisão de sair do BR foi feita sozinha ou em casal ? rss… muitas curiosidades né ?!?

  3. Lidiane

    Nossa realmente tudo que vc disse é verdade, ninguém tem rótulos, tudo fica pra trás… já fui imigrante e sei bem o que é isso!!!! E cada dia que passava chegavam mais e mais pessoas sonhadoras, pensando que teriam o emprego que quisessem… Esquecem que em outro país as regras são outras!!!! Ótimo post, fiquei até emocionada em ler!!!!

  4. Cláudio Schmitt

    Olá, Carina!!! Muitíssimo obrigado por teres compartilhado o meu comentário aqui neste canal do blog… Quero com o meu depoimento servir de exemplo e inspiração para que as pessoas busquem, sempre dentro das suas condições/possibilidades oferecidas pela vida, se desprenderem das “amarras” sociais!!!

    Gostaria de saber como estão as coisas atualmente aí em Vancouver: em relação ao clima/fuso horário, e também o que você faz ali nesta cidade cosmopolita e que acolhe culturas do mundo inteiro: você está estudando/trabalhando ali ou está mais “curtindo” a cidade? Estás em casa de família ou em repúblicas estudantis, já que me parece que Vancouver oferece as 2 possibilidades de moradia… Já ouvi falar também em albergues ou até mesmo nos tais “hostels”, mas nunca entendi direito o seu real significado, já que tenho um conceito bem diferente do que é realmente um albergue pelo menos aqui na minha cidade/região… Poderia me esclarecer/dar maiores detalhes sobre estas informações, amiga?

    Abraços do fundo do meu coração, Cláudio

  5. Cláudio Schmitt

    Olá, Carina!!! Enviei a você um e-mail parabenizando a sua belíssima iniciativa e experiência em viver no Canadá!!! É louvável essa sua iniciativa em compartilhar as suas experiências em um meio aonde muitas vezes só se publicam porcarias e futilidades, que são as redes sociais, infelizmente ainda vivemos em um País muito atrasado cultura e moralmente… Encontrar pessoas com iniciativas como a sua, e ainda por cima dando dicas preciosas/valiosas do que fazer em Vancouver e no Canadá inteiro demonstra em você um sentimento de coragem, humildade, desapego e perseverança em seus objetivos/metas de vida… Muitas vezes, percebemos o quão acomodados as pessoas ficam em suas zonas de conforto, sem ter projetos nenhum, nem fazer curso nenhum, nem ter muitas perspectivas de vida profissional e pessoal, ficam somente no seu feijão com arroz diário (isso porque muitas vezes são cobradas/mandadas a executar as suas tarefas que nada mais são do que os seus deveres, caso contrário não o fariam nem aquilo que é o seu dever) e não traçam planos nenhum para as suas vidas… Você, muito pelo contrário, está realizando dia após dia os seus sonhos/metas de vida, tendo para isso planejado e se programado há tempos para esta finalidade… Também tive uma experiência muito semelhante à sua não somente se referindo aqui ao meu intercâmbio cultural realizado em Vancouver no mês de janeiro de 2012; me refiro aqui neste caso à transferência que fiz/realizei para o setor de Turismo da Prefeitura, isso em meados de 2012… Assim como você, amiga, tive que tirar as “máscaras”, buscar ser eu mesmo e viver a minha verdadeira essência/identidade, já que o serviço que eu executava anteriormente não me satisfazia e nem me gerava prazer, o que culminou em um processo de frustração/angústia muito grandes… Me desfiz de velhos rótulos, opiniões, pontos de vista distorcidos que tinha, velhas roupas (usando aqui um simbolismo para representar a vida velha que levava), saí daquela “gaiola” em que a minha família me prendia durante a maior parte da minha vida, consegui me impor perante eles e assim, me libertar de muitas repressões familiares impostas por eles durante a maior parte da minha vida… Abri a minha cabeça cada vez mais para o novo, o desconhecido e este processo continua em andamento até os dias atuais… Com certeza, tomar decisões como a que você tomou inspirará ainda muitas e muitas pessoas em todo o mundo a fazer o mesmo e a tomar mais coragem e iniciativa para se desprender das “amarras sociais” que, em pleno século XXI, ainda amarram e prendem tantas pessoas à preconceitos, rotulações, regras antiquadas e ultrapassadas, dogmas religiosos… O mundo necessita de mais pessoas como você, Carina, continue escrevendo e publicando os seus textos, já que eles ainda serão muito úteis para o desenvolvimento da humanidade!!! ASSIM SEJA!!! AMÉM!!!

    1. Olá Claudio, Fiquei muito feliz com a sua mensagem. Quanco leio mensagens assim,, me sinto renovada! Eu nem sei como agradecer pelas suas palavras. Muito obrigada por dedicar um tempo do seu dia para em escrever, isso fez muito diferença! Muito obrigada pelo seu feedback.

      Abs
      Carina

  6. Mariana

    Olá, Carina! Estou adorando o seu blog. Sempre tive esse sonho de morar no Canadá. Já morei dois anos na Dinamarca como au pair a 6 anos atrás. Mas para o Canadá eu gostaria de ir de vez. Se você puder me ajudar com algumas dicas, eu iria ser eternamente grata. Aqui no Brasil eu sou técnica de enfermagem. Gostaria se eu tenho oportunidade de trabalho aí com esse curso ou se precisarei fazer o college nessa área. O se você souber/puder, me indicar o melhor caminho. Bjs e obrigada pelos belos posts.

    1. Oi Mariana, muito obrigada pelo seu comentário e fico muito feliz em saber que vc está gostando do meu blog! 🙂

      Eu acredito que para atuar com enfermeira aqui vc precisará fazer algum curso na área, mesmo porque eu não tenho certeza se o seu curso de técnico é aceito para efeito de reconhecimento de diploma aqui…já que enfermagem é uma profissão regulamentada. Porém acredito que a sua experiência deva contar para algum processo de imigração, vc precisaria conversar com um consultor de imigração para saber das suas reais possibilidades.

      Abs
      Carina

  7. Roberto

    Carina
    Muito legal teu blog! Estou me preparando para iniciar o processo de imigração, estou estudando Francês diariamente, pois quero participar do programa para o Quebec, tenho 1 filho de 4 anos e está chegando uma menina.
    Eu e minha esposa estamos muito ansiosos para ir, mas acredito que ainda leve no mínimo 1 ano para que aconteça isso por causa do TCF e documentação para imigrar.
    Mas gostaria de dicas de algumas universidades e cursos para fazer por aí e já iniciar o networking e quem sabe candidatar para algum emprego? Estou iniciando curso e consultoria pela Babel, e muito animado com a mudança e acredito que logo estaremos comentando teu blog por nossas experiências por aí.

  8. Carina, nunca vi um texto tão certeiro! Estou há 3 meses no Canadá e a vida aqui é assim mesmo: recomeço literalmente em todos os sentidos e dar adeus aos rótulos e esteriótipos. É parar de se preocupar com que esperam e você e fazer una reflexão sobre o que VOCê realmente quer pra sua vida. É parar de achar que é melhor que os outros pq tem um diploma. Tem gente que vem achando que vai começar aqui do mesmo ponto onde parou no Brasil. Tsc tsc! Esses são os que mais sofrem com a mudança!

    1. Oi Juliana, obrigada pelo seu comentário e o seu feedback!!! Em 3 anos aqui já vi bastante coisas…e é triste ver como algumas pessoas não mudam nunca! Sempre procuro escrever a minha percepção da vida aqui no Canadá e infezlimente vejo muita gente dando murro em ponta de faca simplesmente pq não aceitam as coisas no ritmo que elas acontecem por aqui.

      Abs
      Carina

  9. Pedro Vilela

    Adorei o texto , Estou pensando e ir pra Calgary e terminar meu high school la . Talvez ano que vem , mas ainda estou vendo muitas coisas . E muito dificil pensar em largar tudo aqui mais e oque eu quero . Outra vida , outro começo como voce falou , uma pagina em branco onde eu possa escrever tudo de novo !

    Ainda e uma possibilidade …

    Sucesso adorei seu blog vlw !

    Pedro

  10. pallonia

    oi Carina,

    Eu, meu esposo e um filho de 3 anos, estamos embarcando nessa mudanças, estamos bem empregados no Brasil, temos, casa, carro, moto, mas não temos a felicidade a satisfação de permanecer no Brasil, não tenho o inglês, meu esposo tem pouco, mas vamos enfrentar essa questão e se jogar no sonho de uma vida melhor, estamos nessa fase, de cortar ás dividas, alugar a casa daqui, pra termos uma verba e se jogando no desconhecido.

    adorei sei blog.

    Sucesso.

    1. Olá Pallonia, desejo muita boa sorte na sua jornada, o Canadá é uma ótima opção em qualidade de vida, tenha em mente que o processo é um pouco demorado por aqui e que no ínicio se ganha muito em qualidade de vida e se perde em padrão de vida. Mas ter persistência, paciência e bom planejamento é a chave. Muito obrigada por ler o meu blog, fico muito feliz em ajudar de alguma forma. Fique à vontade para me perguntar o que quiser, ok.
      Abs
      Carina

  11. Bom dia Carina.
    Como Pré candidato (rsrs) a imigrante, tenho muitos medos, a maior parte deles relativo às mudanças que nunca são fáceis. Pra mim então, é mais complicado ainda porque tenho muita resistência a sair da minha zona de conforto. Entretanto chega a hora que não dá mais e ficamos chateados com o que acontece ao nosso redor, assistindo impassíveis, tentado fazer do nosso pais um lugar melhor pra viver. Atualmente não consigo vislumbrar melhora nem a médio prazo (para os próximos 5/10 anos). Sou professor, e não percebo mais perspectiva de crescimento, a não ser em uma mudança realmente radical. Estava pensando em fazer outro curso superior, mas acho que a minha mudança tem de ser mais radical e por isso estou pesquisado a melhor forma de imigrar para o Canadá.
    Sou casado, com um filho e tenho a intenção de fazer uma pós graduação e minha esposa, a graduação. No meu caso, professor da área de exatas, mas o meu foco neste momento é ela. Vc poderia me indicar qual foi o caminho que você seguiu conseguir o seu visto de estudo? E o visto de trabalho de seu marido, foi difícil?
    Obrigado pela atenção e desculpe pelo texto longo.

    1. Olá Edson, obrigada pelo seu comentário.
      Se ambos vierem estudando, você fazendo pós e sua esposa graduação, ambos terão direito a visto de trabalho part-time, ou seja poderão trabalhar por 20 horas semanais, e seu filho terá direito a estudar na rede publica de graça. Porém, meu conselho é (que foi como eu fiz), venha 1 estudando ou você ou sua esposa, porque se um vier estudando o outro terá direito a um visto de trabalho (open work permit) que dará direito a trabalhar full time. Então se sua esposa vier estudando ela pode trabalhar part-time e você como marido terá um visto full-time. Foi dessa forma que conseguimos o visto de trabalho para o meu marido.
      Eu entendo perfeitamente a sua insatizfação com o Brasil, muita gente está pensando e agindo da mesma forma. É muito triste perder a esperança no nosso país. Boa sorte na sua jornada. Se precisar de mais alguma informação me mande um e-mail no contato@outsidebrazil.com
      Abs
      Carina

  12. diego lima

    Estou com paSabem marcada para os Estados Unidos dia 17, vou deixar esposa e 2 filhas na esperança de conseguir grana e dar uma vida melhor para elas, possuo parentes por lá e acho que para mim será um pouco mais fácil, adorei o texto é meus parabéns pela coragem!!!

  13. Edla

    Olá Carina, belíssimo texto! Impossível não me identificar com essas palavras, impossível não seguir refletindo sobre cada detalhe… eu e meu marido estamos justamente saindo do Brasil, deixando tudo para trás… indo viver a nossa ‘página em branco’ do outro lado do planeta. Um abraço!

  14. Oi Carina. Excelente texto. Realmente largar tudo o que você viveu por muitos anos, não é fácil. É um choque de realidade. Diariamente venho lutando com a ideia em mudar de país. Quem sabe, algum dia desses. Abraços.

  15. Ricardo Monteiro

    Olá Carina!
    Além de belo, o texto é impressionantemente realista.
    Estou amadurecendo a ideia de ir ao Canadá, mas sei que não será fácil a mudança.
    Parabéns pela mensagem!

Seja bem vindo e muito obrigada por seguir o OutsideBrazil!

%d bloggers like this: